side-area-logo

E na prática, o que muda no Visto Australiano a partir de hoje?

Na última terça-feira participamos de um treinamento sobre o Visto Austrália proporcionado pela Embaixada da Austrália em Brasília. A notícia boa é que ficou confirmado que as mudanças vêm para melhorar, facilitar e garantir bons estudos para nossos estudantes e clientes, pois a partir de agora os brasileiros são considerados estudantes de baixo risco pela imigração australiana.

Nesse link você encontrará as explicações de forma mais detalhada sobre as mudanças que acontecem a partir de hoje, 01/07/2016. – http://visafactory.com.br/mudancas-no-visto-de-estudos-australiano/

E na prática o que muda?

Fizemos um resumo super didático do que muda na prática para as novas solicitações. Seguem os pontos importantes:

  1. Todos os cursos (cursos de inglês, vocacionais, graduação, ensino médio e fundamental) passam a fazer parte de uma única classe, a classe 500.
  1. Dependentes dos solicitantes de vistos de estudante também terão o visto classe 500.
  1. Todas as aplicações passam a ser aplicadas online exclusivamente.
  1. Os documentos a seguir permanecem sendo obrigatórios para todas as aplicações, são considerados os documentos básicos de uma aplicaçã
  • OSHC
  • COE
  • Welfare Arrangements (para menores de idade).
  1. O nível de exigência com relação a documentação apresentada será resultado da combinação do país de origem do estudante com a instituição de ensino pretendida. Quanto melhor for a pontuação da escola de destino, menor a exigência de documentos financeiros. Esse resultado será dado pelo sistema automaticamente no momento da aplicação. Isso não descarta a possibilidade de a imigração solicitar documentos adicionais como parte da avaliação.
  1. As instituições educacionais serão semestralmente avaliadas pela imigração australiana. As escolas serão categorizadas com base em diversos critérios, alguns deles:
  • Quantidade de vistos negados de seus estudantes.
  • Alunos com intenção genuína de estudos (e não de imigração). A imigração utiliza critérios como idade, histórico profissional e acadêmico para determinar se a intenção da viagem à Austrália realmente é de estudos.
  1. Diferente do que foi divulgado por muitos blogs, não haverá restrições sobre quem será o suporte financeiro da viagem, porém o custeador precisará ter um vínculo coerente com o solicitante e com a responsabilidade assumida pelo custeio. Poderão ser incluídos até dois suportes financeiros para a viagem.
  1. O valor solicitado em conta disponível para a manutenção da viagem, por mês pretendido é de AUD 1.652,50 por mês ou AUD 19.830,00 por ano.
  1. A declaração de Imposto de Renda do custeador deverá apresentar o valor declarado anual de R$ 60.000,00 no mínimo. Se houver dependente R$ 70.000,00 no mínimo.
  1. Para os cálculos para avaliação da quantia apresentada pelo estudante, será considerado o câmbio comercial do dia.
  1. Dependerá do curso escolhido a necessidade ou não de apresentar um exame de proficiência no inglês (item destinado apenas a cursos VET ou universitários)
  1. Não serão necessárias, nesse primeiro momento, traduções dos documentos apresentados, para cursos de inglês e VET.
  1. Será permitido aplicar o processo com no máximo 4 meses de antecedência.
  1. Tempo de processamento de avaliação de cada solicitação: 30 dias

Contem com a nossa equipe em caso de quaisquer dúvidas! Saiba mais informações sobre o visto australiano aqui na nossa página: http://visafactory.com.br/australia/

Publicado em 01/07/2016

Recommend
Share
Tagged in
Leave a reply